XXIII (LIBERTAS QUAE SERA TAMEN)

Libertas quae sera tamen

E se todos os meus sonhos se realizassem?
E todos os meus medos se dissolvessem?
E se minhas lágrimas curassem os doentes?
E se os meus gritos matassem a saudade?

Eu queria ter o poder de mudar as coisas
Eu queria que minhas palavras fossem conforto
Eu queria que você não estivesse morto
Seus olhos piscam, mas já se apagaram as chamas

Amigo! É preciso trocar os passos para aprender
É necessário se ariscar se realmente quiser viver
Eu queria o poder de te mostrar que você pode
Quantas vezes esse erro se repete e se repete?

Há um mundo inteiro lá fora a sua espera
Pessoas aguardam suas lágrimas para confortá-las
Ainda existem tantas noites para se ter medo ao dormir
É preciso ser maior, viver melhor, resistir. É preciso sorrir!

Aprendi que nem toda urgência tem importância
E é sempre tão tarde quando tomamos consciência
Do que deveríamos ter sabido antes das consequências
Há um mundo inteiro lá fora a sua espera, que não espera mais

L.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s