Correr



Arrogância, prepotência, medo, medo de não ser aceito.
Medo de não ser legal, medo de não ser normal.
Medo da morte. São tantos. Do azar, do destino, da vida.
O medo domina, o medo castiga, o medo te obriga!
O mundo não vai esperar por você, então corra…
Mate o medo ou morra de medo, mas não pare de correr.
Sofra, chore, grite, vibre, pule, corra, morra de cansaço…
Não deixe que o medo te pegue. Não deixe que amor te cegue
Seja feliz respire enquanto corre. Sinta o vento sinta o medo
Observe a paisagem, observe as pessoas às más e as boas.


Faça escolhas. Más ou boas. Ar puro ou poluição? O cérebro ou o coração?
O medo ou a raiva? A raiva ou o perdão? Olhe sempre para trás
Relembre o passado. Ria, chore, viva o presente e esqueça o futuro…
Que a Deus pertence. Pense, leia, caia, levante, pensamento sempre adiante.
À frente. Sofra, chore, grite, vibre, pule, corra, morra de cansaço. De.
De abraços, de beijos de amor, carinho, de vida. Faça amor, faça vida, se canse.
Distribua atenção. Algumas pessoas querem falar outras precisam ouvir
Seja feliz ou infeliz, mas viva com intensidade cada momento. Que sejam seus!
Faça a sua historia nas historias dos outros. Conte historias, leia, pague meia!
Estude. Sinta prazer no sexo, no amor, na dor, no caos, na calmaria, na corrida!


Na mente poluída. Nas almas vazias. Qualquer pouco é muito pra quem nada tem
Pra quem tudo quis e nada teve. Deseje. Que tenha, que seja. Faça sempre o bem
Me ouça, me olhe, me beije. Me mate, me sinta, me pegue, mas não deixe que eu te pegue.
Eu sou o seu medo de ter medo. Eu sou o dedo que diz não. Eu sou o amor que partiu seu coração.
Eu sou tudo aquilo que quer esquecer eu sou nada mais nada menos do que você
Refletido no espelho da melancolia. Oscilando alegria e agonia, angustia e rebeldia.


Liberdade não existe por isso eu corro preso a mim mesmo fingindo ser livre…
Fugindo da minha arrogância, da minha prepotência, do meu medo, medo de não ser aceito.
Medo de não ser legal, medo de não ser normal.
Medo da minha morte. São poucos que tem sorte, que acham seu caminho no destino, na vida.
Eu corro. Eu morro de cansaço o fim da estrada é logo ali, mas e depois pra onde devo ir?



Lucas Alberti Amaral

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s